Especialidades

Apendicite

Epidemiologia

  • Definição: é a inflamação do apêndice, um pequeno órgão linfoide parecido com o dedo de uma luva, localizado no ceco, a primeira porção do intestino grosso.
  • Incidência: o quadro inflamatório-infeccioso característico da apendicite é mais frequente entre pessoas de 20 a 30 anos.
  • Sintomas: falta de apetite; dor abdominal; colapso do aparelho digestivo; febre; náuseas; vômitos e apatia.

Diagnóstico

  • O diagnóstico é clínico, realizado com base na história do paciente e na palpação do abdômen. O ultrassom e a tomografia auxiliam bastante na conclusão do diagnóstico.

Tratamento

  1. Cirúrgico: O tratamento da apendicite é cirúrgico. Neste caso, a incisão é pequena, e as cicatrizes são quase imperceptíveis.
  2. Cirurgia convencional: consiste da retirada do apêndice. O apêndice é um órgão responsável pela produção de bactérias benéficas ao organismo. No entanto, sua retirada não está associada a nenhuma disfunção evidente do aparelho digestivo.
  3. Técnica cirúrgica minimamente invasiva: a cirurgia minimamente invasiva tem como objetivo a máxima preservação da anatomia com a mínima agressão ao organismo. Os benefícios da cirurgia minimamente invasiva incluem: melhor resultado estético; menos dor pós-operatória; menor taxa de complicações; recuperação mais rápida; alta hospitalar precoce; retorno mais rápido às atividades habituais e maior conforto do paciente. Para mais informações sobre essa técnica, clique aqui.

Prognóstico

  • A maioria dos pacientes com apendicite recuperam-se facilmente com o tratamento. A taxa de mortalidade é praticamente zero.
« voltar
mar 25, 2014 | Publicado por in Especialidades | Comentários desativados