Especialidades

Hemorróidas

Epidemiologia

  • Definição: são dilatações de vasos sanguíneos que se situam na porção mais inferior do reto e no canal anal, chamados de mamilos hemorroidários. Esses mamilos podem sofrer prolapso com a evolução da doença. As causas das hemorroidas podem ser diversas, desde a dieta pobre em fibras, ingestão de pouco líquido, diarreia frequente, uso incorreto do papel higiênico e até o esforço evacuatório por permanecer muito tempo no vaso sanitário.
  • Incidência: é estimado que aproximadamente 50% da população sofrerá de hemorroida em algum momento de sua vida.
  • Sintomas: entre os principais sintomas estão: desconforto anal; dor intensa nos casos de trombose hemorroidária; sangramento; coceira e/ou presença de secreção nas roupas íntimas e nodulações em volta do ânus.

Diagnóstico

  • O diagnóstico é simples de ser feito. Trata-se de um exame na região do ânus, com anuscopia (exame do interior do canal anal) para diagnosticar e classificar o grau da hemorroida. A classificação em graus orienta o tratamento adequado, mas nem sempre está relacionada aos sintomas.
  • A definição do grau hemorroidário está diretamente ligada à seleção do tratamento apropriado:
    1. Grau I: não há exteriorização da hemorroida.
    2. Grau II: a hemorroida exterioriza-se no momento da evacuação, mas retorna para dentro do reto espontaneamente.
    3. Grau III: há exteriorização da hemorroida, e há necessidade de empurrar com a mão para dentro do reto.
    4. Grau IV: permanece constantemente exteriorizada.

Tratamento

  1. Cirúrgico

    • Ligadura: o tratamento com ligadura elástica, para graus I e II, é feito no ambulatório, não necessita de anestesia, e o paciente é liberado logo após o procedimento.
    • Cirurgia convencional: a cirurgia (hemorroidectomia) consiste em ressecar os mamilos hemorroidários e é realizada sob anestesia. Por causa do corte, a dor é maior, mas tende a regredir 48 horas depois. A cicatrização final se dá após quatro semanas, em média, e em 15 dias o paciente já consegue voltar às suas atividades normais.
    • Técnica cirúrgica minimamente invasiva: o grampeamento utiliza um aparelho que promove a ressecção dos mamilos hemorroidários. Essa técnica se aplica a hemorroidas que têm um componente de prolapso importante. As vantagens desse procedimento é provocar menos dor e ter recuperação mais rápida, pois o corte é interno e sem feridas.
  2. Clínico

    • O tratamento pode ser clínico e se baseia nos seguintes pontos: correção do hábito intestinal; ingestão de fibras e de líquidos; cuidados de higiene, restrição ao uso de papel higiênico e aumento do uso da água e do sabão neutro; e, em alguns casos, medicações tópicas e/ou sintomáticas (analgésico e anti-inflamatório).

Prognóstico

  • As indicações que recebem tratamento cirúrgico são totalmente curáveis e com baixa probabilidade de nova operação. No entanto, as hemorroidas que recebem tratamento clínico podem ser recidivas até o tratamento ser completado.
« voltar
mar 25, 2014 | Publicado por in Especialidades | Comentários desativados