Especialidades

Fístula retal

Epidemiologia

  • Definição: são dilatações de vasos sanguíneos que se situam na porção mais inferior do reto e no canal anal, chamado de mamilos hemorroidários. Esses mamilos podem sofrer prolapso com a evolução da doença. As causas das hemorroidas podem ser diversas, desde a dieta pobre em fibras, ingestão de pouco líquido, diarreia frequente, uso incorreto do papel higiênico e até o esforço evacuatório por permanecer muito tempo no vaso sanitário.
  • Incidência: é estimado que aproximadamente 50% da população sofrerá de hemorroida em algum momento de sua vida.
  • Sintomas: entre os principais sintomas estão desconforto anal; dor intensa nos casos de trombose hemorroidária; sangramento; coceira e/ou presença de secreção nas roupas íntimas; e nodulações em volta do ânus.

Diagnóstico

  • O diagnóstico de fístula anal é essencialmente clínico – baseado na história clínica e em exame proctológico. Alguns exames complementares como ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância nuclear magnética podem fornecer informações sobre o trajeto de fístulas complexas, mas são situações muito especiais.

Tratamento

O tratamento de uma fístula anal é eminentemente cirúrgico. Pois excepcionalmente elas cicatrizam de forma espontânea.

  1. Cirúrgico
    • Técnica cirúrgica minimamente invasiva: a cirurgia minimamente invasiva tem como objetivo a máxima preservação da anatomia com a mínima agressão ao organismo. Os benefícios da cirurgia minimamente invasiva incluem: melhor resultado estético; menos dor pós-operatória; menor taxa de complicações; recuperação mais rápida; alta hospitalar precoce; retorno mais rápido às atividades habituais e maior conforto do paciente. Para mais informações sobre essa técnica, clique aqui.
« voltar
mar 25, 2014 | Publicado por in Especialidades | Comentários desativados