Especialidades

Esplenomegalia cirúrgica

Quando o baço aumenta de tamanho (esplenomegalia), a sua capacidade de reter e armazenar células sanguíneas aumenta. A esplenomegalia pode reduzir o número de eritrócitos, de leucócitos e de plaquetas circulantes. Muitas doenças podem causar esplenomegalia. Para definir a sua causa, o médico deve aventar a possibilidade de distúrbios que vão desde cânceres do sangue, até infecções crônicas. Quando o baço aumentado de tamanho retém um grande número de células sanguíneas anormais, estas produzem obstruções no seu interior e interferem no seu funcionamento. Este processo pode dar início a um ciclo vicioso: quanto mais células o baço retém, maior ele fica; quanto maior ele fica, mais células ele retém. Quando o baço remove da circulação uma quantidade excessiva de células sanguíneas (hiperesplenismo), podem ocorrer vários problemas como, por exemplo, anemia, infecções frequentes e distúrbios hemorrágicos. Com o passar do tempo, o baço muito aumentado de tamanho também retém células sanguíneas normais e as destrói, juntamente com as células anormais.

Sinais e sintomas

  • Um baço aumentado não causa muitos sintomas, e nenhum deles revela a causa específica de seu aumento. Como o baço aumentado de tamanho está localizado próximo ao estômago e pode comprimi-lo, o indivíduo pode ter uma sensação de plenitude após consumir um pequeno lanche ou mesmo sem alimentar-se. Ele também pode sentir dor abdominal ou nas costas – no nível do baço. A dor pode irradiar-se para o ombro esquerdo, especialmente quando porções mais altas do baço não recebem uma quantidade suficiente de sangue e começam a morrer.

Diagnóstico

  • Geralmente, o médico consegue identificar o baço aumentado de tamanho durante o exame físico ou pela radiografia do abdômen. Tomografia computadorizada e ressonância magnética também fornecem informações importantes para o diagnóstico Os exames de sangue revelam queda do número de eritrócitos, de leucócitos e de plaquetas.

Tratamento clínico ou cirúrgico

  • Quando possível, o médico trata a doença subjacente causadora da esplenomegalia. A esplenectomia, que consiste na remoção cirúrgica do baço, raramente é necessária e pode causar problemas, incluindo a suscetibilidade a infecções graves. No entanto, vale a pena correr esses riscos em determinadas situações críticas: quando o baço destrói os eritrócitos tão rapidamente que ocorre o desenvolvimento de uma anemia intensa; quando ele exaure de tal maneira a reserva de leucócitos e de plaquetas ao ponto de tornar possível a ocorrência de infecções e hemorragias; quando ele torna-se tão volumoso a ponto de causar dor ou comprimir outros órgãos; ou quando ele torna-se tão grande que partes do mesmo sangram ou morrem. Como uma alternativa à cirurgia, a radioterapia pode ser utilizada, algumas vezes, para reduzir o tamanho do baço.

Prognóstico

  • Se o paciente passou por esplenectomia, alguns cuidados devem ser tomados. A capacidade de defesa do organismo para certos tipos de microorganismos estará reduzida, com risco de infecções sérias. Assim, recomenda-se a aplicação de vacinas e, para reduzir o risco de infecções, também recomendam-se o uso contínuo de antibióticos em baixas doses.
« voltar
mar 25, 2014 | Publicado por in Especialidades | Comentários desativados